Capoeira vira ferramenta de aproximação cultural com Angola

Mestre Paulão Kikongo
De Mestre Paulão Kikongo novembro 3, 2008 19:29

Capoeira vira ferramenta de aproximação cultural com Angola

03-11-2008 17:05:13

Capoeira vira ferramenta de aproximação cultural com Angola

Brasília, 3 nov (Lusa) – A capoeira será destaque em Luanda de 6 a 8 de novembro, numa série de iniciativas promovidas pela diplomacia do Brasil para fortalecer os laços culturais entre os dois países, informou o Itamaraty nesta segunda-feira.

Os eventos promovidos pelo Departamento Cultural do Itamaraty, sede do Ministério brasileiro das Relações Exteriores, e pela embaixada do Brasil em Luanda, incluem conferências sobre capoeira e o lançamento da publicação "Textos do Brasil – Capoeira".

Serão realizados ainda "workshops", apresentação de documentário e rodas de capoeira com mestres brasileiros e angolanos.

No dia 8, abertura da Semana de Cultura Brasileira em Luanda, realizada em parceria com a Associação de Empresários Brasileiros em Angola (AEBRAN), a embaixada do Brasil organizará a apresentação de mestres brasileiros de capoeira.

Os registros mais antigos da capoeira no Brasil remontam ao século 18, quando era praticada por escravos em busca da liberdade, principalmente os oriundos de Angola.

Atualmente, há mais de 10 milhões de praticantes de capoeira do Brasil.
Esta arte, que se confunde com esporte e que já foi considerada luta, tornou-se patrimônio imaterial brasileiro em julho deste ano.

O processo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) incluiu também a inscrição do ofício dos mestres de capoeira no Livro dos Saberes.

A capoeira, que é um jogo complexo e harmônico e também é dança, luta, canto, prova de habilidade e destreza corporal, está presente hoje em todas as regiões do Brasil e em cerca de 150 países.


Este artigo pertence ao Portal Capoeira do Rio.
Todos os direitos reservados.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.
Mestre Paulão Kikongo
De Mestre Paulão Kikongo novembro 3, 2008 19:29
Escreva um comentário

Sem comentários

Ainda sem comentários!

Deixe-me contar uma história triste! Ainda não há comentários, mas você pode ser o primeiro a comentar este artigo.

Escreva um comentário
Ver comentários

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*