Após lançamento na UERJ, livros publicados pela Coleção Capoeira Viva serão lançados na Gávea

Mestre Paulão Kikongo
De Mestre Paulão Kikongo dezembro 12, 2008 22:06

Após lançamento na UERJ, livros publicados pela Coleção Capoeira Viva serão lançados na Gávea

CONVITE_eletro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No próximo dia 17 de dezembro serão lançados os livros A CAPOEIRA NO RIO DE JANEIRO 1890-1950, de Izabel Ferreira e A ARTE DA NEGOCIAÇÃO: A CAPOEIRA COMO NAVEGAÇÃO SOCIAL, de autoria de Bernardo Velloso Conde.

Estes livros fazem parte da Coleção Capoeira Viva, que “é composta por livros histórico-etnográficos adaptados de pesquisas acadêmicas, geralmente esquecidas nos arquivos universitários. Cultura, luta, esporte, dança, instrumento de socialização… Tanto se diz da capoeira, mas pouco se escuta. A coleção Capoeira Viva foi idealizada com o intuito de quebrar esse paradigma e trazer ao público a riqueza e as nuances dessa manifestação brasileira tão próxima de seus admiradores e praticantes e tão distante da maior parte da sociedade brasileira”.

*Izabel Ferreira é cientista social, pós-graduada em Sociologia Urbana e Mestre em Antropologia Visual pelo PPCIS-UERJ. Professora de Sociologia da Universidade Gama Filho, entre 2000 e 2001. Desde 1998 realiza pesquisas históricas e iconográficas para exposições de arte, entre elas: “Flávio de Carvalho – 100 anos de um revolucionário romântico”; “Ismael Nery – a poética de um mito”; “Pancetti – o Marinheiro Só”; “No Tempo dos Modernistas – D. Olivia Penteado, a senhora das artes”; “Traço Humor & Cia”; “O Preço da Sedução – do espartilho ao silicone”; “Mary Vieira – o tempo do movimento”; “Homo Ludens – do faz de conta à vertigem”; “O Olhar Modernista de JK”, “O’Brasil – da terra encantada à aldeia global”, “Di Cavalcanti – um perfeito carioca”, Nippon, Galeria de Valores, entre outras.

Bernardo Conde, autor do livro A ARTE DA NEGOCIAÇÃO: A CAPOEIRA COMO NAVEGAÇÃO SOCIAL possui mestrado em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2003) e é doutorando em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Antropologia e sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: modernidade, identidade e cultura.

Sua dissertação de Mestrado, defendida em 2003 foi “A Arte da Negociação – a Capoeira como Navegação Social”, agora transformada em livro. Teve diversos artigos publicados, dentre os quais “Os donos da rua: as maltas de capoeira do século XIX”, no Motus Corporis e Capoeiragem no século XIX – conflito e identidade, no XXII Simpósio Nacional de História, em 2003 na cidade de João Pessoa.

CURRICULO RAQUEL SILVA

Jornalista, Mestre em Bens Culturais e Projetos Sociais pelo CPDOC/FGV. Trabalha, desde 1979, como produtora cultural. Atua em diversas áreas da comunicação, particularmente assessoria de imprensa, edição e produção de livros de arte e fotografia. Foi responsável pela coordenação editorial do livro Ismael Nery, que em 2005 recebeu o Prêmio ExcelênciaGráfica Werner Klatt. Escreveu o Guia da Copa França 1998. É coordenadora da Coleção Capoeira Viva, patrocinada pelo Minc, que publica ensaios acadêmicos  sobre o tema. Uma das criadoras do Fundo Ângela Borba de Recursos para Mulheres, é verbete do livro Mulheres Negras do Brasil, que lista as mulheres negras de destaque em suas áreas ao longo da historiografia brasileira.

Coleção Capoeira Viva

Volume 1 – A Capoeira no Rio de Janeiro 1890 – 1950 – Izabel Ferreira

Volume 2 – A Arte da Negociação: a Capoeira como Navegação Social – Bernardo Conde

Exatos cinco meses depois de ter sido oficialmente declarada patrimônio cultural brasileiro, chegam às livrarias os volumes de estréia da Coleção Capoeira Viva, a primeira exclusivamente dedicada à publicação de livros sobre capoeira.

Marcada pelo estigma da marginalidade por mais de um século, a capoeira sempre foi tema de investigação nos círculos acadêmicos brasileiros e internacionais, especialmente no Rio e em Salvador, cidades que disputam sua maternidade. Entretanto, muito pouco disso chegou ao grande público.

A Coleção Capoeira Viva é composta por uma série de livros histórico-etnográficos adaptados de teses e dissertações acadêmicas. Foi criada com o intuito de tirar das prateleiras das bibliotecas da academia textos resultantes de relevantes pesquisas sobre o tema e dar acesso a importantes estudos que, ao abordarem a capoeira, suscitam questões que remontam aos primórdios da gênese da cultura brasileira.

"Jogo, luta, cultura, dança, esporte, brincadeira, instrumento de socialização… Muito se fala da capoeira, mas pouco se compreende. A Coleção Capoeira Viva tem a intenção de quebrar paradigmas e trazer a público a riqueza e as nuances desta manisfestação cultural, tão próxima de seus praticantes e admiradores e tão distante da maior parte da sociedade brasileira", declara a jornalista Raquel Silva, diretora da coleção.

O primeiro volume, A capoeira no Rio de Janeiro 1890 – 1950, de Izabel Ferreira, aborda um período, entre o fim da República e meados do século XX, no qual a memória da capoeira carioca foi gradativamente apagada. Segundo a autora, isso se deve fundamentalmente ao fato de que com a implantação da República e o projeto de nação brasileira, a capoeira escrava lembrava a vergonha que foi o modelo escravagista praticado no país até então. A partir do início da década de 1940 a capoeira começou a se revestir com uma imagem mais adequada ao idéário nacionalista da época, ou seja, como arte genuinamente brasileira ou como luta nacional.

"Acredito que a análise da capoeira praticada no Rio de Janeiro neste período será útil à compreensão da capoeira que se faz contemporaneamente. Trata-se de entender a cosmologia construída ao longo das últimas décadas, incorporada ao imaginário dos capoeiristas, e que, nos dias atuais, se descortina em uma multiplicidade de discursos, de práticas e em uma rede de difusão que cobre quase todo o planeta", declara a
autora Izabel Ferreira, mestre em Ciências Sociais e especialista em Sociologia Urbana.

No livro 2, A arte da negociação – A Capoeira como Navegação Social, o autor, Bernardo Conde, a partir de sua própria experiência, se debruça sobre a formação da identidade do capoeirista. Com uma cuidadosa análise que inclui o universo cultural que circunda a capoeira – samba, samba-de-roda, maculelê, candombé, malícia, mandinga etc. – o autor traça o panorama de um mundo à parte, cuja porta de entrada é a prática de um jogo em que não há nenhuma regra fixa e o oponente não é adversário e sim companheiro. Uma viagem fascinante, em que o leitorhaole[1], é conduzido por um local e, depois de uma breve passagem por concepções históricas da capoeira é apresentado a um universo muito particular, que vai se constituindo desde a dinâmica de iniciação de um discípulo até a incorporação do ethos da capoeira, que indica um modo de agir e pensar no qual o jogo da capoeira é transportado para a vida.

"Procurei, por intemédio da observação participativa e da depuração de fatos e situações vividas ao longo de minha trajetária, (re) interpretar comportamentos e ações que apontam para este possível ethos da capoeira. Num segundo momento tento estabelecer como o saber do jogo é acionado em diversos espaços sociais e como o cotidiano é traduzido pela ótica da roda de capoeira", adianta Bernado Conde, professor universitário e doutorando em Ciências Sociais.

Coleção Capoeira Viva

Volume 1 – A Capoeira no Rio de Janeiro 1890 – 1950 – Izabel Ferreira – 134 páginas –

ISBN 978-85-60284-10-8

Volume 2 – A Arte da Negociação: a Capoeira como Navegação Social – Bernardo Conde –138 pags – ISBN 978-85-60284-09-2

LANÇAMENTO COM NOITE DE AUTÓGRAFOS, EXIBIÇÃO E RODA DE CAPOEIRA

Quarta-feira, 17 de dezembro às 19h

Planetário da Gávea – Rua Padre Leonel Franca 240 – Gávea

Astro Bar – 100 lugares sentados + balcão

Estacionamento no local: R$ 5,00 até as 19h59 e R$ 10 a partir das 20h

Preço sugerido por exemplar: R$ 25,00

Preço especial na noite de lançamento: 1 exemplar R$ 20,00 – 2 exemplares R$ 25,00

Editora Novas Idéias

http://www.2ab.com.br – catálogo Novas Idéias

Informações para a imprensa: Raquel Silva – 21 2274-7924 | 9965-3433

[1] As expressões haole e local são gírias, oriundas do surf, que significam respectivamente pessoas de fora de uma sociedade específica e membros de uma sociedade.

Raquel Silva
Assessoria de Comunicação
[21] 2274-7924 | 2512-3828 | 9965-3433
raquelsilva@alternex.com.br

*Fonte: Raquel Silva via e-mail para LICAERJ


Este artigo pertence ao Portal Capoeira do Rio.
Todos os direitos reservados.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.
Mestre Paulão Kikongo
De Mestre Paulão Kikongo dezembro 12, 2008 22:06
Escreva um comentário

Sem comentários

Ainda sem comentários!

Deixe-me contar uma história triste! Ainda não há comentários, mas você pode ser o primeiro a comentar este artigo.

Escreva um comentário
Ver comentários

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*