Micael Borges e Daniel Dalcin treinam capoeira para "Malhação"

Mestre Paulão Kikongo
De Mestre Paulão Kikongo fevereiro 3, 2009 21:50

Micael Borges e Daniel Dalcin treinam capoeira para "Malhação"

150_335-capoeira1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Olhos nos olhos, saltos, rasteiras e muito suor entraram na rotina de Micael Borges e Daniel Dalcin. Tudo porque Luciano e Alex, seus personagens em “Malhação”, vão se enfrentar numa roda de capoeira. Embora já fossem praticantes do esporte, os dois atores estão fazendo aulas com o professor Mobília, no Projac, para ensaiar a coreografia que mostrarão na frente das câmeras no dia 11. Para levar ao ar uma cena de no máximo 50 segundos, a dupla ensaia por mais de uma hora.

— No momento de gravar, a luta tem que ser curta mesmo. Do contrário, eles não aguentam — explica o professor.

Mas se, na ficção, a rivalidade entre Luciano e Alex é coisa séria — os dois levam para a roda de capoeira a disputa por Marina (Bianca Bin) —, na vida real o clima entre Micael e Daniel é de total camaradagem. Nos intervalos do treinamento, os dois brincam de aplicar golpes forçados, dando um ar caricato à briga. E Micael faz uma série de imitações usando a ginga da capoeira.

— Na cena, a gente não pode rir — avisa Daniel.

Apesar de saberem executar boa parte dos golpes, os dois atores têm um desafio: fazer com que a luta fique bonita diante das câmeras.

— A capoeira fazia parte da minha preparação no grupo Nós do Morro, assim como o circo. Executar os movimentos não é o problema, o difícil é adaptar uma luta baseada no improviso para a marcação de cena — explica Micael.

Daniel concorda:

— Na luta encenada, ficamos preocupados com o nosso posicionamento. Não dá para errar o golpe combinado no ensaio, podemos nos machucar sem querer.

Fonte: Jornal Extra


Este artigo pertence ao Portal Capoeira do Rio.
Todos os direitos reservados.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.
Mestre Paulão Kikongo
De Mestre Paulão Kikongo fevereiro 3, 2009 21:50
Escreva um comentário

Sem comentários

Ainda sem comentários!

Deixe-me contar uma história triste! Ainda não há comentários, mas você pode ser o primeiro a comentar este artigo.

Escreva um comentário
Ver comentários

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*