VIII Fórum Mestres e Conselheiros acontece em Belo Horizonte (MG)

Além da tradicional discussão sobre educação patrimonial, o Fórum Mestres e Conselheiros aborda em sua oitava edição As Dimensões do Patrimônio Imaterial para tratar dos desafios colocados por essa nova perspectiva.

O evento vai reunir na capital mineira de 22 a 24 de junho pesquisadores e estudantes das áreas ligadas à preservação do patrimônio cultural e do planejamento urbano, bem como os diversos agentes do patrimônio – membros dos conselhos municipais, educadores e demais profissionais envolvidos com as políticas públicas de promoção dos bens culturais.

A tradição do toque dos sinos se mantém viva nessas cidades como referência de identidade cultural da população local, e como atividade afetiva, lúdica e devocional de sineiros. Fotos: Iphan
A tradição do toque dos sinos se mantém viva nessas cidades como referência de identidade cultural da população local, e como atividade afetiva, lúdica e devocional de sineiros. Fotos: Iphan

A ideia é congregar num mesmo evento os agentes que formulam e efetivam as políticas a nível municipal e os pesquisadores acadêmicos dos diversos programas de pós-graduação do Brasil para realizar uma avaliação do processo de municipalização no Brasil, suas premissas, instrumentos utilizados, arranjos institucionais, resultados e possibilidades de financiamento.

A iniciativa que surgiu em 2008, inicialmente voltada para Minas Gerais, se estendeu no ano seguinte para todo o país. A edição está organizada em conferências, mesas redondas e apresentações de comunicações, estruturadas a partir de dois temários centrais: Patrimônio imaterial e Os Desafios da Educação Patrimonial.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Minas (Iphan-MG) é um dos organizadores e promove na quarta-feira, 22, conferência sobre os critérios de escolha de bens para registro como patrimônio imaterial. O tema será abordado pela a superintendente do Iphan no Estado, Célia Corsino. Na parte da tarde, a coordenadora de Educação Patrimonial do Iphan, Sonia Rampim, fará oficina sobre a utilização dos inventários participativos e no dia 24 apresentará a metodologia deste trabalho. O Fórum contará ainda com o lançamento da publicação Educação Patrimonial: Inventários Participativos.

O Iphan-MG é um dos organizadores ao lado do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável da Universidade Federal de Minas Gerais; do Instituto de Estudos do Desenvolvimento Sustentável (IEDS); do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG) e da Promotoria Estadual em Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais (MPE).

CONHEÇA OS EIXOS TEMÁTICOS DO ENCONTRO

O Encontro se organiza em conferências, mesas redondas e apresentações de comunicações, estruturados a partir de dois temários centrais: “Patrimônio imaterial” e “Os Desafios da Educação Patrimonial”, subdividido nos seguintes sub eixos temáticos:

Os Desafios do Patrimônio Imaterial

Eixo 01 – Do objeto ao imaterial: formas de proteção ao patrimônio

Eixo 02 – A cultura viva e o patrimônio

Eixo 03 – Patrimônio, planejamento e desenvolvimento

Eixo 04 – Instrumentos para a proteção do patrimônio

Eixo 05 – O patrimônio imaterial das cidades

Eixo 06 – Os agentes do patrimônio: conselhos e democracia

Os Desafios da Educação Patrimonial

Eixo 07 – Educação patrimonial na escola

Eixo 08 – Museus, arquivos e educação patrimonial

Eixo 09 – A cidade, lugar da educação patrimonial

Eixo 10 – Educação e trabalho: os ofícios tradicionais

Eixo 11 – Comunidades: participantes efetivas das ações educativas

Eixo 12 – Educação ambiental e educação patrimonial: convergências

Para se inscrever, acesse: http://www.mestreseconselheiros.com 

Serviço:

VIII Fórum Mestres e Conselheiros

Local: Escola de Arquitetura da UFMG –  Rua Paraíba, 697 – Funcionários

Fonte: IPHAN e VIII Mestres e Conselheiros Agentes Multiplicadores do Patrimônio


Escreva um comentário e participe!

comentários