Comissão de Esporte da Câmara aprova parecer contra a capoeira livre

A Comissão de Esporte (CESPO) da Câmara dos Deputados aprovou, ontem, (09/08), por unanimidade, o substitutivo de autoria do deputado Márcio Marinho (PRB-BA) ao Projeto de Lei 1966/2015 (clique e veja aqui o projeto original), que reconhece o caráter educacional e formativo da capoeira em suas manifestações culturais e esportivas e permite a celebração de parcerias para o seu ensino nos estabelecimentos de educação básica, públicos e privados.

Este Projeto de Lei (veja aqui o substitutivo) permite a celebração e parcerias para o ensino da capoeira nos estabelecimentos de educação básica, públicos e privadas, mas, ao mesmo tempo, torna obrigatória a celebração desta parceria somente com entidades ou associações que sejam vinculadas a entidades de administração do desporto da capoeira, como prevê o artigo 2º deste projeto de lei.

Audiência Pública realizada na Câmara não levou em conta o que foi debatido

Em audiência publica realizada no dia 25 de agosto de 2015, capoeiristas presentes deixaram bem claro a preocupação com a esportivização da capoeira, mas parece que isto não foi levado em conta no parecer do relator.

Na ocasião, conforme escreveu Paulo Magalhães (Sem Terra), A própria representante do Ministério dos Esportes, a Srª Andrea Ewerton, se contrapôs aos capitães do mato citando Paulo Freire e indagando:” “quem disse que o saber popular é menor do que o saber acadêmico”? “Afirmou que o Ministério está trabalhando em torno de uma concepção ampliada de esporte e construindo um sistema” “multidisciplinar, multiprofissional, multicultural”. “Em nome do governo brasileiro, desmascarou as falácias dos capoeiristas de gabinete:” “enquanto Ministério do Esporte quero dizer que não é verdadeiro a necessidade da institucionalização, ou organização, para ter acesso ao recurso público. O Ministério do Esporte está na contramão talvez das reflexões que vocês colocaram”.

Portanto, o que vislumbramos é mais uma luta que teremos que travar para tirar, mais uma vez, a nossa capoeira das mãos dos capitães do mato. O projeto segue agora para a apreciação na Comissão de Educação (CE) e posteriormente irá para a Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ), onde tentaremos reverter este quadro.

Foto: Câmara dos Deputados


Escreva um comentário e participe!

comentários

8 comentários em “Comissão de Esporte da Câmara aprova parecer contra a capoeira livre

  • 11 de agosto de 2017 em 07:00
    Permalink

    Eu não sei o porquê o dia do capoeira é comemorado da 3 de agosto,esta lei aprovada aparti de quando. Vai começa vai funcionar qual vai ser o valor da remuneração di professor de capoeira que estará desenvolvendo as aulas nas escolas…..

    Resposta
  • 11 de agosto de 2017 em 07:02
    Permalink

    Eu não sei o porquê o dia do capoeira é comemorado da 3 de agosto,esta lei aprovada aparti de quando. Vai começa vai funcionar qual vai ser o valor da remuneração di professor de capoeira que estará desenvolvendo as aulas nas escolas

    Resposta
  • 11 de agosto de 2017 em 09:22
    Permalink

    Até quando vamos deixar isso acontecer?
    Vamos a luta. Ano q vem tem eleição vamos tirar tudo.
    Quem lhes deu autorização pra falar por nos??

    Resposta
    • 12 de agosto de 2017 em 22:22
      Permalink

      Infelizmente há um projeto de poder em curso e a apropriação de nossas culturas faz parte destas políticas neoliberais.

      Resposta
      • 16 de agosto de 2017 em 01:21
        Permalink

        Concordo plenamente. Niguem e dessa arte ela e livre, temos que nos unir, e um eterno aprendizado, temos que zelar essa arte. A capoeira e única em depedete de bandeira, vamos respeita.

        Resposta
  • 12 de agosto de 2017 em 23:56
    Permalink

    Para todos os capoeira é de súmula importância, pois é a porta para capoeira expor a sua força e real sentido de legado deixado pelo o mestre Bimba. Através da sua ideologia, interpretando a expressão deixada pelo escravos, desejo de governa o país formado por uma miscigenação de culturas de povos de características de princípios os quais descende a origem da existência das primeiras civilizações humanas. Extintas provavelmente pelos os cataclismo do tempos. Em fim, mestre bimba descreve tais sabedoria oculta, quando escolhe o símbolo da regional sem revelar como obteve o conhecimento de antigo mestre; que o qual instruiu todos os conceitos evolutivo de todos os nossos séculos. O mestre Hermestrismegismo. Entodavia representa pela escolha do símbolo da capoeira regional. Símbolo de significado quão místico a ser seguido. Pois então, ao tal projeto, é só escolher o seu discípulo Mestre Itapoan como líder e senador. Através de uma votação direta. Assim feito, haverá um verdadeiro reconhecimento e respeito pela capoeira

    Resposta
  • 15 de agosto de 2017 em 14:22
    Permalink

    Deveremos nos levantar enquanto capoeiristas e brasileiros zelosos de nossa cultura dizendo um sonoro não a este horrendo comportamento que parte de uma instituição religiosa com claros objetivos de desmantelar nossa cultura. UM SONORO NÃO!

    Resposta
  • 16 de agosto de 2017 em 10:07
    Permalink

    Esse grupo visa, interesses de monopolio para ter facilidades em sues projetos, nao esta levando enconta o mestre que le ensinou muitos antes de qualquer lei. Sou contra a essa manobra absurda.
    Mestre Pacheco Angoleiro – Presidente da Uniao Olindense de Capoeira – UNOCA.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *