São Gonçalo cedia Fórum de Dança Afro

Mestre Paulão Kikongo
De Mestre Paulão Kikongo agosto 23, 2007 00:50

São Gonçalo cedia Fórum de Dança Afro

I FÓRUM DE DANÇA AFRO CONTEMPORÂNEA

SÃO GONÇALO – RIO DE JANEIRO

DIAS 01 E 02 DE SETEMBRO DE 2007

Local: TEATRO GEORGE SAVALLA GOMES (Carequinha)

Rua Oliveira Botelho, s/nº – Neves – SG

Anexo ao Colégio Ernani Faria (Próximo ao Detran e a 73ª DP)

Informações:

21 9355-7901 (Sonia Lumumba)

21 9212-1109 (Sonia Duarte)

21 8135-9232 (Mestre Paulão)

INTRODUÇÃO

A Dança Afro Contemporânea vem ocupando espaço no cenário da arte em todo o país. Atentos a esse acontecimento viemos propor neste fórum um espaço de reflexão e prática dessa modalidade de dança no Município de São Gonçalo.

As cidades que tem como objetivo o desenvolvimento sócio cultural tem se utilizado da dança e principalmente da dança contemporânea como forte elemento de valorização cultural.

A partir do reconhecimento do governo brasileiro, (depois de várias lutas e exigências do Movimento Negro) em sancionar a Lei que tornou obrigatório o Ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana nas escolas públicas e particulares dos Ensino Fundamental e Médio, a Dança Afro, a Capoeira e as demais tradições afro-brasileiras e africanas tomaram um vulto grandioso.

Este evento é de suma importância para a valorização, preservação e resgate dos profissionais de Dança Afro que ainda hoje desenvolvem seus trabalhos no Estado do Rio de Janeiro e por isso faz-se mister divulgar esta que é uma das grandes contribuições do legado deixado por nossos ancestrais.

Entidades e agentes culturais, ONG’s, Associações de Bairros, capoeiristas e demais pessoas interessadas estão convidados (as) a virem discutir conosco nesses dois dias a História e Cultura Afro-Brasileira e Africana.

PROGRAMAÇÃO

01/09/2007 – SÁBADO

09:00h – ABERTURA

VÍDEO DOCUMENTÁRIO: BALÉ DE PÉ NO CHÃO

“O vídeo documentário BALÉ DE PÉ NO CHÃO acompanha a singular trajetória de Mercedes Baptista, considerada a principal percussora da dança afro-brasileira. Bailarina de formação erudita, a partir da criação de seu grupo, no início da década de 50, volta-se para o estudo dos movimentos rituais do candomblé e danças folclóricas. Suas criações coreográficas permanecem até hoje, identificadas como o repertório gestual da dança afro.”

Direção: Lílian Sola Santiago e Marianna Monteiro

São Paulo / 17′ / doc / cor – 2005

Fonte: http://tvtribuna.wsoma.com/curtasantos/paulista_video.asp

09:20h – PALESTRAS

Tema: A Dança Afro, a Lei 10.639/2003 e a Reparação – A experiência do IARA – Instituto de Advocacia Racial e Ambiental

Palestrante: Dr. Humberto Adami

Graduado em Direito pela Universidade de Brasília – UNB, Mestre em Direito da Cidade e Urbanismo pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Conselheiro do Instituto Superior da Faculdade Zumbi do Palmares, Presidente do Instituto da Advocacia Racial e Ambiental – IARA e Sócio de Adami Advogados Associados

Tema: Ações do Estado na implementação da Lei 10.639/2003

Palestrante: Profª Marileia Santiago

Assessora de Diversidade e Inclusão Social da Secretaria de Estado de Educação

Tema: A contribuição do CEAP na formação de professores e na preservação do Patrimônio Histórico e Cultural Afro-brasileiro e Africano

Palestrante: Profº Ivanir dos Santos

Secretário Executivo do CEAP e Pedagogo

Tema: A importância do Ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana e o Combate ao Racismo

Palestrante: Vanda Maria de Souza Ferreira

Ouvidora da PETROS

10:20h – APRESENTAÇÃO DE DANÇA AFRO

Geisi Nara – Professora de Dança Afro e Coreógrafa

10:40h – PALESTRA

Tema: A importância da Dança na formação da identidade e do aumento da auto estima do(a) afro-descendente

Palestrante: Edejô Eware

Artista Plástico, Bailarino, Coreógrafo, Profº de Dança Afro e Agente Cultural

11:00h – APRESENTAÇÃO DE DANÇA AFRO

Sonia Lumumba Bailarina, Coreógrafo, Profª de Dança Afro e Agente Cultural

11:30h – PALESTRA

Tema: A Importância do Artesanato na Divulgação e preservação da Cultura Africana e Afro-brasileira

Palestrante: Claudio Café Escultor

12:00h às 13:30- ALMOÇO

13:40 – RELATO DE EXPERIÊNCIAS

Centro Comunitário Jardim Catarina

Rosilene Rodrigues

14:00h – OFICINA DE DANÇA AFRO, JONGO E TAMBOR DE CRIOULA

Oficineiro: Edejô Eware

Artista Plástico, Bailarino, Coreógrafo, Pr
ofº de Dança Afro e Agente Cultural

15:00h – PALESTRA

Tema: A MULHER NEGRA NO MERCADO DE TRABALHO

Palestrante: Dolores Lima

Professora; Formanda em Psicologia; Militante do Fórum de Mulheres Negras do Estado do Rio de Janeiro

15:30h – APRESENTAÇÃO

CIA BRAP Nova Geração

Dança Afro e Hip Hop

16:00h – ESPETÁCULO ANDANÇAS

CIA DE DANÇA AIACOM

Espetáculo Afro Contemporâneo inspirado nas músicas de Elza Soares, José Vicente, Maria Bethânia e Milton Nascimento. Este espetáculo vem trabalhar a consciência corporal e os seus movimentos harmônicos, numa trilogia de música, canto e ritmos corporais. Andanças inicia com sons produzidos pelo próprio corpo, fazendo uma sintonia de batuques, que ecoam insistentemente nas transições das cenas que seguem. O texto antecedendo as coreografias, também contribui na intensidade dos movimentos.

O protagonismo é coletivo: apaixonados pela dança, o elenco, formado só por meninos que se doam por inteiro na encenação do espetáculo.

Andanças (andar na dança) aborda a quebra de paradigmas do “ser” homem no universo da dança. Num trabalho igualitário, sem preconceito ou discriminação, tecendo aí várias possibilidades de liberdade de expressão, onde o ator, o bailarino, não tem sexo.

Concepção e Direção: Marco Lunessy

Assistente de Direção: Anderson Marley

16:30h – APRESENTAÇÃO DE ENCERRAMENTO DO 1º DIA

BANDA LEMI AYÓ

02/09/2007 – DOMINGO

09:00h – OFICINA DE CAPOEIRA ANGOLA

Oficineiro: Mestre Brito – Associação Afro Cultural Rumpilê

09:30h – VÍDEO DEBATE Se eles soubessem…

O documentário fala sobre a experiência do Colégio Estadual Guadalajara no trabalho com africanidades e os desafios da implementação da lei 10.639, que torna obrigatória a inclusão da História e Cultura Afro – Brasileira nos currículos oficiais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. O documentário foi feito em parceria com o Observatório da Juventude e o Programa de Ações Afirmativas, ambos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e financiado pelo edital Uniafro do Ministério da Educação. Ainda que não tenha sido incorporado no filme, o Observatório Jovem também conheceu no processo de pesquisa a experiência do Colégio Estadual Professor Souza da Silveira, localizado no bairro de Quintino, na cidade do Rio de Janeiro. No colégio é realizado o Programa de Reflexões e Debates Para a Consciência Negra.

Debatedora: Profª Mônica Sacramento

Pedagoga, Mestre em Educação e Pesquisadora do Observatório Jovem e do Penesb.

10:30h – PALESTRA

Tema: A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER E A LEI MARIA DA PENHA

Palestrante: Roseli Rocha

Assistente Social, Mestre em Política Social e Coordenadora do CEOM Zuzu Angel

11:00h – OFICINA

IDENTIDADE E AUTO-ESTIMA ATRAVÉS DA ESTÉTICA AFRO-BRASILEIRA

Oficineira: Josina Maria da Cunha (AFROJO)

Pedagoga, Militante do Fórum de Mulheres Negras e Estilista Afro

12:00h – RODA DE CAPOEIRA

Associação Rio Brasil Arte Capoeira

Mestre Paulão e Mestre Barrias

13:00h – OFICINA

Máscaras Africanas

Oficineiro: Jorge Fernandes Duarte

Profº de Educação Artística

14:00h – ENCERRAMENTO

Este fragmento faz parte do Hino Nacional da África do Sul

Nkosi, sikelel’ iafrika! Senhor, abençoe a África!

Maluphakanyisw’ uphondu lwayo, Que o espírito dela se erga,

Yizwa imithandazo yethu! Ouve também nossas preces!

Nkosi, sikelela… Senhor, abençoa-nos…

Nkosi, sikelela… Senhor, abençoa-nos…

Nkosi sikelel’ iAfrika! Senhor, abençoe a África!

Maluphakanyisw’ uphondu lwayo, Que o espírito dela se erga,

Yizwa imithandazo yethu! Ouve também nossas preces!

Nkosi, sikelela… Senhor, abençoa-nos…

Thina lusapho lwayo! A nós, a família africana!

“As minhas mãos colocaram pedras nos alicerces do mundo. Mereço o meu pedaço de chão.”

(Agostinho Neto)


Este artigo pertence ao Portal Capoeira do Rio.
Todos os direitos reservados.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.
Mestre Paulão Kikongo
De Mestre Paulão Kikongo agosto 23, 2007 00:50
Escreva um comentário

Sem comentários

Ainda sem comentários!

Deixe-me contar uma história triste! Ainda não há comentários, mas você pode ser o primeiro a comentar este artigo.

Escreva um comentário
Ver comentários

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*